Raio X da educação: o que mostram o Censo Escolar, o Ideb e o Saeb, divulgados nesta sexta

  • 16/09/2022
Dados colhidos durante a pandemia não refletem a realidade das escolas, por limitações estatísticas. Redes que aprovaram automaticamente os alunos, por exemplo, terão índices artificialmente mais altos. Três índices relacionados à educação no Brasil foram divulgados nesta sexta-feira (16) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep): número de matrículas em 2022, segundo os dados preliminares do Censo Escolar da Educação Básica: um dos destaques é a queda de 5,3% do total de jovens matriculados no ensino médio; desempenho dos alunos em uma prova nacional, feita em 2021, chamada Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb): um dos destaques é que mais do que dobrou a porcentagem de crianças do 2º ano do ensino fundamental que ainda não sabem ler e escrever; Índice de Desenvolvimento da Educação Básica 2021 (que considera o Saeb juntamente aos níveis de aprovação dos estudantes nas escolas): dados ficaram praticamente estagnados e podem estar ocultando a piora do indicador durante a pandemia. São informações que devem ser interpretadas com cautela, mesmo diante da necessidade de um diagnóstico das perdas de aprendizagem ocorridas durante a pandemia. Compartilhe esta reportagem no Whatsapp Compartilhe esta reportagem no Telegram No caso do Censo Escolar, eventuais correções solicitadas pelos municípios e estados podem alterar os números finais, que sairão só em dezembro. E, no Saeb e no Ideb, o contexto de coleta das informações compromete os resultados e torna injusta qualquer comparação com anos anteriores ou entre redes de ensino. Entenda nesta reportagem e no vídeo abaixo por que esses dados são "enganosos". Conheça os problemas que afetaram os dados do Ideb 2021 Feitas as ressalvas, veja abaixo quais os destaques de cada índice. LEIA TAMBÉM: ‘A preta do morro se formou’: filha de faxineira conclui faculdade de enfermagem e viraliza nas redes sociais Dicionário inglês inclui 'cringe' e 'metaverso' entre os seus verbetes Saeb O Saeb é uma prova de português e de matemática feita a cada dois anos por alunos do 2º, 5º e 9º ano do ensino fundamental e por estudantes do 3º do ensino médio. No caso do 9º ano, para uma amostra específica, houve também questões de ciências da natureza e ciências humanas. Segundo especialistas, a situação pode ser ainda mais preocupante do que a exposta nesta sexta-feira, já que, quando o Saeb foi aplicado (em novembro e dezembro do ano passado), muitas escolas ainda não haviam voltado para o formato 100% presencial. Provavelmente, no caso delas, a adesão ao exame foi menor do que a registrada nos colégios que já estavam funcionando normalmente. "Não sabemos, por exemplo, se os alunos que não fizeram a prova foram aqueles que eram mais vulneráveis, porque não tinham acesso à tecnologia ou porque estavam no ensino médio e faltavam às aulas por estarem trabalhando", afirma Ricardo Henriques, do Instituto Unibanco. Por isso, como dito no início da reportagem, comparações devem ser evitadas, levando em conta a fragilidade dos dados atuais. A seguir, veja os principais dados relativos ao desempenho dos estudantes nessa avaliação. 2º ano do ensino fundamental Alfabetização: A porcentagem de crianças do 2º ano do ensino fundamental que ainda não sabem ler e escrever nem mesmo palavras isoladas (como "mesa" e "vovô") mais do que dobrou de 2019 a 2021. Pelas diretrizes do MEC, elas deveriam ter sido alfabetizadas desde o 1º ano. Matemática: No 2º ano do ensino fundamental, 22% das crianças não conseguiam fazer operações básicas, como soma e subtração, em 2021. Em 2019, antes da pandemia, eram 16%. 5º ano do ensino fundamental Língua portuguesa: De 2019 para 2021, a parcela de alunos com conhecimentos insuficientes subiu de 23% para 28%. São crianças que sabem localizar informações explícitas em textos curtos, mas não conseguem interpretar sentidos de palavras e expressões. Matemática: Houve um crescimento discreto de 21% para 23% no grupo de alunos que conseguem resolver problemas simples, mas que não são capazes de nomear figuras geométricas (quadrado, retângulo etc.). 9º ano do ensino fundamental Língua portuguesa: Em 2021, houve uma grande concentração (14,7%) de alunos no "nível 0": jovens que não conseguem ser avaliados pelos testes do Saeb, porque não dominam as habilidades mínimas exigidas pela prova. Matemática: São 44% dos estudantes que, em 2021, conseguiam interpretar gráficos, mas não sabiam como planificar um sólido geométrico (como uma pirâmide). É um aumento de 5 pontos percentuais em relação a 2019. Ciências humanas: Houve um crescimento no grupo que ocupa os níveis iniciais de conhecimento da área -- de 52% para 56%. Ciências da natureza: Quase 20% dos alunos de 2021 não tinham as habilidades mínimas para serem avaliados pelo Saeb. Ensino médio Língua portuguesa: Há um aumento de 45% para 48% no número de alunos que ocupam os níveis iniciais de conhecimento da área, de 2019 a 2021. Matemática: O levantamento mostra um salto de 48% para 54% do grupo que domina apenas as noções básicas da disciplina. Ideb O Ideb, em uma escala de 1 a 10, cruza duas informações: taxa de aprovação/fluxo escolar (a porcentagem de alunos que não repetiram de ano em uma escola ou rede de ensino); notas do Saeb (explicadas anteriormente nesta reportagem). Só que, neste ano, esses dois “ingredientes” foram comprometidos, porque: Parte das redes de ensino adotou a aprovação automática na pandemia (e terá, portanto, um Ideb artificialmente mais alto). Pela primeira vez, também por causa da Covid-19, a porcentagem de alunos que fizeram a avaliação (Saeb) foi muito mais baixa em alguns estados, fornecendo dados estatisticamente pouco confiáveis. Por isso, os destaques abaixo não estabelecerão comparações entre as redes. Anos iniciais do ensino fundamental: Na etapa em que as crianças enfrentaram dificuldades nos processos de alfabetização à distância, o Ideb nacional foi de 5,8 em 2021 (uma flutuação muito discreta em relação aos 5,9 de antes da pandemia, por causa da fragilidade dos dados explicada acima). Anos finais do ensino fundamental: A variação também foi pequena (de 4,9 para 5,1) nesses dois anos. Ensino médio: O Ideb ficou estacionado em 4,2 -- mais uma vez, evidenciando que os números não indicam necessariamente o que aconteceu com o desempenho dos alunos neste período. Censo Escolar Evasão escolar: Comparando os números preliminares de 2021 e de 2022, o número de jovens matriculados no ensino médio caiu de 6.564.625 para 6.217.486 -- uma redução de 5,3%. Embora os dados ainda sejam preliminares, há o indício de um aumento na evasão escolar na última etapa de ensino, justamente quando o risco de abandonar os estudos para ingressar precocemente no mercado de trabalho é maior. Reflexos do novo ensino médio: Mesmo com a redução no número total de matrículas, o número de alunos de ensino médio em tempo integral aumentou 10,5% – esse é justamente um dos pilares da reforma implementada nessa etapa escolar desde o começo de 2022. Vídeos

FONTE: https://g1.globo.com/educacao/noticia/2022/09/16/raio-x-da-educacao-o-que-mostram-o-censo-o-ideb-e-o-saeb-divulgados-nesta-sexta-feira.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Top 5

top1
1. Essa casa é sua

Casa Worship

top2
2. Aquieta Minh'alma

Ministério Zoe

top3
3. Não pare

Midian Lima

top4
4. Ninguém Explica Deus

Preto no Branco

top5
5. Deus proverá

Gabriela Gomes

Anunciantes